segunda-feira, 2 de maio de 2011

Há bens que vêm para o mal?

Eu fiquei muito feliz quando vi que as calçadas da Avenida Paulista finalmente foram refeitas de modo a facilitar a vida dos pedestres: cimento lisinho, sem buracos ou protuberâncias traiçoeiras. Tem até faixa guia para deficientes visuais, coisa linda!
Mas com a calçada lisinha, apareceram outras ameaças aos pedestres: ciclistas, patinadores e skatistas também querem desfrutar das alegrias da calçada. E aí, pobres pedestres, acabou o sossego. A gente tem de andar por ali o tempo todo desviando dos apressados seres que andam sobre rodas pela calçada.
Nos fins de semana, é ainda pior, com mais ciclistas, patinadores e skatistas.
Além disso, canteiros, escadas, muretas e até hidrantes viram desafios para as manobras arriscadas de seres sobre patins e skates. A calçada transforma-se em pista de acrobacias e os pedestres têm de passar pelos cantos pra não ficarem sujeitos a algum acidente.
Acho justo que exista espaço para todos na cidade: ciclovias para os ciclistas e pistas para patinadores e skatistas. E nesse cenário, a calçada deveria ser o espaço de pedestres. Na calçada, sobre rodas, apenas cadeirantes.
De que adiantam as faixas para guiar deficientes visuais, nesse cenário de disputa pelo espaço das calçadas?
Não demora pra algueém ser atropelado ali, tamanha é a confusão nos fins de semana.
E aí, prefeito, vai esperar alguém ser atropelado na calçada pra tomar alguma atitude? Calçamento de primeiro mundo requer normas de uso de primeiro mundo!