sábado, 20 de junho de 2009

Marina Lima, bem-vinda você também à Psiulândia!

Depois de duas semanas sem postar aqui, estou de volta, só pra comentar uma entrevista que a Marina concedeu para a revista da Joyce Pascowitch no final do ano passado. A entrevista ficou famosa porque ela confessou algumas intimidades que incomodaram outras pessoas, sobretudo Gal Costa.
Mas logo abaixo das revelações bombásticas, um comentário passou despercebido e eu resolvi transcrevê-lo aqui:

JP: Mudando de assunto, o que você ouve?
ML: De tudo e muitas vezes, nada. Como eu tenho um ouvido doente, que ouve freqüências que ninguém ouve, valorizo demais o silêncio. Essa coisa de trilha sonora para tudo, eu não agüento. Às vezes prefiro os ruídos do mundo.


Marina, essa coisa de ouvido doente, me desculpe, é de quem coloca alto-falantes gigantes no carro, grita pelas ruas, buzina pra qualquer um, obriga todo mundo a ouvir trilha sonora compulsória etc. O seu ouvido deve é ser saudável demais, querendo ser respeitado! Bem-vinda você também à Psiulândia!

PS - Aviso para aqueles que seguem este blog: tomei uma decisão e resolvi ampliar a abrangência da minha ranhetice e parar de reclamar só de barulho. Agora a reclamação vai ser ampla, geral e irrestrita!
Afinal, estou completando meio século de vida neste ano de 2009, e creio que já posso me conceder o direito de ser uma velha rabugenta. Assim vai dar tempo de reclamar bastante antes de morrer - assim espero!!!
Buzinas, alarmes, gritos, barulhos, ruídos em geral continuarão sendo as vítimas preferenciais do blog, mas vou me permitir criticar também outras coisas que me incomodam.
E quem se incomodar com as minhas rabugices, fica fácil: é só não ler.